Buscar
  • Renata Serrano

A Imperdível Chandon

Dando continuidade as belas vinícolas de Mendoza, hoje é a vez da Chandon.

Ahhhh os espumantes!!! São meus preferidos e da Chandon, vou te contar, são bárbaros. Esta bodega foi a primeira filial da Chandon fora da França.

Começamos fazendo um tour pela vinícola visitando os parreirais, produção, os locais de armazenamento e a cave subterrânea que é bem interessante. Tudo com guia te explicando cada detalhe.

Durante a visita é possível entender um pouco mais do método de vinificação, aprender algumas palavras técnicas e compreender a diferença entre os espumantes Nature, Extra Brut, Brut e Demi Sec.

Cave subterrânea

Cave subterrânea

Depois de muitas fotos chegou a tão aguardada hora da degustação. Foram 04 rótulos, mas pra mim poderiam ter sido muitos mais.

O primeiro que degustamos foi o Brut Nature Rosé. Começamos muito bem, por sinal. Espumante fresco, equilibrado e perfeito para degustar a qualquer momento. Uma saladinha caprese com este espumante é uma perfeita harmonização #ficaadica

Depois degustamos o Baron B Extra Brut. Um dos espumantes premium da Bodega. Ele tem este nome em homenagem ao Baron Bertrand, primeiro presidente da Chandon. Posso dizer que é sensacional.

Em seguida veio o Delice. Tipo um ice (aquele pra tomar com gelo). Um pouco doce mas não é enjoativo. Você pode consumir ele sozinho gelado (6 a 8°), com muito gelo ou com gelo e folhas de manjericão. De qualquer uma das formas ele fica bem interessante, principalmente pra quem gosta de um espumante mais docinho.

E por fim uma das novidades deste ano, o Apéritif, com Orange bitter (traduzindo - laranja amarga) ou grapefruit, toranja que são as que eu conheço. Ideal para aquele momento aperitivo mesmo, um espumante de entrada. Pode ser servido com uma pedra de gelo.

Aí você já está louca pra levar metade da Chandon e lembra que tem um limite máximo de litros (12L) por pessoa e que tem outras bodegas pela frente então, segura esse facho mulher.

Sei que trouxe alguns rótulos, kits e já estou pensando na próxima.


Como diz Dom Pérignon, me senti degustando estrelas. Reza a lenda que Dom Pérignon vivia na cidade de Champagne, na França, e buscava incessantemente criar um vinho de qualidade. O resultado foi a criação do champagne. As borbulhas foram comparadas às estrelas e a bebida, considerada a bebida dos deuses. Por este motivo o logo da Chandon é uma estrela.

Esta foi mais uma preciosa dica de bodegas para se visitar em Mendoza e quando quiser organizar seu grupo, é só me consultar.

Continue comigo nesta incrível viagem percorrendo as melhores bodegas de Mendoza.

Acompanhe os posts na “Rota dos Vinhos” e viaje conosco. Até a próxima!!!

Renata Serrano Barbarela Turismo – uma agência de viagem especializada em Enoturismo

Contatos: renata@barbarelaturismo.com.br

Fone: (19) 3826-3440 e 98154-9440

0 visualização

Rota dos Vinhos com Renata Serrano

  • Facebook
  • Instagram